Questões do homem Gêmeos, como ser feliz?

 

Gêmeos, como ser feliz?

Os gêmeos e o acaso

Educar os gêmeos

Os gêmeos e a felicidade



- Os gêmeos de Pleucadec -

Encontro Internacional de gêmeos, Pleucadec é uma agradável cidade da Bretanha, no oeste da França. Há 1450 habitantes em Pleucadec, e 60 gêmeos.
Em 15 de agosto, todos os anos desde 1993 acontece o grande encontro de gêmeos de Pleucadec. Eram 300 no primeiro ano, 1000 em 1998.
Entre os países representados: Bretanha, é claro, França, Alemanha, Suíça, Itália, Canadá, Estados Unidos e Rússia.
A orígem deste encontro: Pleucadec tinha o costume, até 1992, de fazer uma festa aérea. A catástrofe aérea de Habsheim (Alsácia) acarretou condições mais difíceis para organizar estas demonstrações de aviões. Os prados da cidade foram declarados inaptos para uma competição aérea, a festa foi assim interditada. O prefeito e o páraco não puderam mais fazer um concurso de salto em pára-quedas.
O prefeito pediu ao conselho municipal que usasse a criatividade. M. Launay, seu adjunto, é pai de duas gêmeas, Cecília e Aurélia; ele queria fazer por elas uma pequena festa, e propôs aos habitantes de Pleucadec: uma festa para os gêmeos. Cecília e Aurélia LAUNAY, as graciosas gêmeas, dentro de uma competição esportiva chegaram "ex aequo", mas foi-lhes necessário reclamar para obterem cada uma a sua medalha: queriam dar-lhes uma para as duas! (Veja: "Como educar os gêmeos"). Cada um dos gêmeos é uma verdadeira pessoa? A questao é de importância para Pleucadec onde o recorde de gêmeos alcançou: 60 dentro da comunidade!
Em meio a isso, Teresa e Ana cantam canções tradicionais. Em 1993, elas ganharam o prêmio da cultura popular da Alta Bretanha. Enfim, Pleucadec redescobre o seu tesouro de gêmeos A idéia é adotada, e é um sucesso. E desde então não para mais
No ano 2000 haverá dois encontros mundiais gêmeos de gêmeos: Twinsburg, nos Estados Unidos (Ohio), e Pleucadec, no Morbihan.


Os gêmeos e o acaso

Os verdadeiros gêmeos - estes que se assemelham como uma gota d'água - possuem o mesmo patrimônio genético. São os chamados "monozigóticos", provém de um mesmo ovo que é dividido nos primeiros dias de vida.
Os falsos gêmeos são os chamados "dizigóticos". Eles possuem um patrimônio genético diferente: dois óvulos diferentes foram fecundados por dois espermatozóides diferentes. Conta-se em média 8% de pares de gêmeos dizigóticos e 3,5% de pares de gêmeos monozigóticos, em relação aos embriões únicos.
A hereditariedade é considerada como um fator de gemelidade (em latim "gemellus", gêmeos). É assim que se pode explicar, em parte, o maior número de gêmeos a Pleucadec. Mas mesmo em Pleucadec, o fenômeno permanece impossível de se prever a cada gravidez. A única certeza é de ordem estatística. O acaso guarda os seus direitos. Nao é uma garantia da liberdade da pessoa sobre as programações e manipulações?

Educar os gêmeos

A história das gêmeas de Pleucadec, Cecília e Aurélia, é com certeza significativa das dificuldades que os gêmeos e as gêmeas vão enfrentar em suas famílias, na escola e na vida social: embora elas tenham ganho "ex aequo" uma prova esportiva, queriam dar-lhes uma só medalha para partilhar.
Dentro de uma família a tendência é grande de dizer "as gêmeas" em lugar de Maria e Francine. Semelhante também, lógicamente, aos rapazes gêmeos.
Admira-se o fato de que eles possuem os mesmos gostos, e isso é verdade. Tem-se por outro lado muita dificuldade em os distinguir, sobretudo quando não os vimos depois de muito tempo. Portanto eles (elas) são cada um uma criança, uma pessoa única. Como essa criança única podera´ se sentir suficientemente amada quando não é considerada com frequência mais que um grupo de dois e raramente ele mesmo, unicamente, preciosamente?
Certamente o bom-senso e as necessidades conduzem com frequência os pais, por exemplo, a chamar a mesa "os gêmeos" como eles poderiam dizer "as crianças" quando elas são muitas. Mas dizer "Bom dia, gêmeas!", "Boa noite, gêmeos!", é certamente uma falta de atenção à pessoa, e cria traumas afetivos.
Um conselho: que o pai e a mãe tentem ter regularmente com cada um dos gêmeos um momento privilegiado onde a criança esteja só com seu pai ou sua mãe. Só para ele por um tempo. Então o gêmeo (a gêmea) poderá experimentar a felicidade de ser acolhido, reconhecido como uma pessoa única no mundo. Que ele é.
E chama-lo sempre que possível por seu próprio nome.

Os gêmeos e a felicidade

A história mostra que com o tempo, as personalidades dos gêmeos se afirmam e se diferenciam de forma notável.
Os gêmeos possuem, geralmente, grande necessidade de se ver, de se reencontrar ainda que com o passar dos anos a vida os separe.
Favorecer os reencontros, é contribuir para a felicidade dos gêmeos. Mas a felicidade não esta fechada dentro de um espelho, ela é viva. Cada um, cada uma deve descobrir e buscar por sua própria conta o segredo da felicidade. Mesmo que um possa mostrar o caminho ao outro pelo seu testemunho.
Nossa verdadeira semelhança, diz o Gênesis - este livro da Bíblia que fala de Adão e Eva - é a imagem de Deus. E Deus, é talvez o verdadeiro gêmeo que eu procuro, à quem quero me assemelhar. Que me ama mais do que não saberei amar. Que me perdoa quando o tenha esquecido ou o tenha feito mal. E que me chama sempre pelo meu nome para me convidar à vida da felicidade eterna.


Informações sobre Pleucadec:
Inscrição para a festa de 15 de agosto de 1999, escreva para:
Fête de Jumeaux, Mairie, PLEUCADEC
56140 France


Sites a consultar:
Pleucadec, em francês:http://webhome.infonie.fr/a.loyer/index.htm

Twins Information, em inglês:http://www.twinspace.com/info.html

all the pictures of this page are from the website: http://webhome.infonie.fr/a.loyer/index.htm