50 questões
50 questões
Fui longe demais...
estou arrependido
está tudo perdido?

Nunca ninguém é demasiado mau para Deus: Ele não pode deixar de nos amar.
"Eu nunca te esquecerei. Dissipei os teus crimes como uma neblina e os teus pecados como uma nuvem, volta para mim, pois eu te resgatei!" (ls 44,21-22).
O Senhor dirige-nos palavras como esta, de amor e de perdão, inúmeras vezes na Bíblia. Mas estas palavras não eram suficientes para nos dizer que nos ama acima dos nossos pecados, que Ele quer dar-nos a vida para além da morte: Ele próprio veio, o Senhor Deus. É Ele, Jesus, o Filho do Pai todo poderoso que vem viver no meio de nós como um menino no Natal. É Ele próprio quem nos conta a parábola do Filho pródigo. E para mostrar até o fim que Deus é misericórdia e perdão, prefere deixar-se matar que dar a imagem de um Deus vingador: "Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem" (Lc 23,24).
Jesus faz entrar no céu em primeiro lugar, um pecador, um bandido, aquele a quem desde então chamam de bom ladrão. Foi o primeiro!
Então, se te julgas a ti próprio, se não consegues perdoar a ti mesmo, vai encontrar Jesus na pessoa do sacerdote. Em nome do Filho de Deus, ele tem o poder, é obrigado a perdoar-te: "Perante ele, pacificaremos o nosso coração, se o nosso coração nos condenasse, pois Deus é maior que o nosso coração" (1Jo 3,19-20).

Testemunho

Há quatro meses fiz um aborto. Foi terrível... Mas eu já não sabia para quem me voltar: estava sozinha, tinha dezessete anos, não sabia o que fazer... A minha mãe aconselhou-me a conversar com alguém. A vida para mim já não tinha qualquer sentido...

Dois meses depois havia uma missão na nossa cidade e jovens vieram à minha escola para testemunhar o seu encontro com Deus. Alguns padres estavam presentes: podíamo-nos confessar se o desejássemos. Eu não me atrevia, mas quando me levantei para deixar a sala desmanchei em lágrimas. Um padre aproximou-se então de mim para falar comigo. Expliquei-lhe o que me tinha acontecido. Rezamos e ele propôs-me que pedisse perdão a Deus. Confessei-me e imediatamente senti-me aliviada de um grande peso.

Sei que muitos jovens estão no meu caso, por aquele pecado ou por outro, e eu gostaria de lhes dizer que nunca é tarde demais para pedir perdão ao Senhor. Confiem-lhe o arrependimento de vocês e serão libertados.
Sei agora que o meu filho está junto de Deus. Acredito que ele me perdoou e intercede por mim.

Frédérica