50 questões
50 questões
O que a igreja pensa
da doação de órgãos?

Transplantar um órgão para curar um doente (transfusão, transplante de medula, de pele, de rins, do coração ...) é um ato médico cuja finalidade é boa em si própria. No entanto, esta prática só pode ser feita mediante certas condições.

Quando se tratar de uma doação feita por uma pessoa viva (sangue, medula, rim) deve ser evitada qualquer transação comercial. Ninguém pode dispor do seu próprio corpo ou do de outrem para com ele ganhar dinheiro, mesmo que seja para prestar um serviço. A doação de esperma ou de óvulos é de outro tipo; o objetivo não é curar mas transmitir vida, e esta só deve ser feita na relação conjugal dos esposos; esta doação é contrária ao respeito pelo vínculo conjugal, mesmo que seja por amor.

Em relação ao corpo de uma pessoa que já morreu, ninguém pode tirar-lhe nenhum órgão contra a vontade da família ou se, em vida, a própria pessoa se manifestou contra.

No que diz respeito a alguém prestes a morrer ou em estado de coma profundo, não se podem tirar órgãos sem se ter a certeza de que a pessoa está morta (segundo a legislação francesa são necessários dois eletroencefalogramas feitos com 24 horas de intervalo). Qualquer prática que contrarie estas regras opõe-se ao respeito que é devido a cada pessoa.

Testemunho

Vítima de uma disfunção medular, o V nosso filho mais velho morreu quando tinha seis anos. O seu irmão mais novo tinha a mesma doença e nós procuramos desesperadamente um doador de medula que fosse compatível com a do nosso filho.
Foi então que encontramos um jovem padre, que nos ajudou muito durante deste problema. Tornamo-nos fiéis participantes de um pequeno grupo de oração. Aí, muitas vezes no meio de lágrimas, rezávamos regularmente pelo nosso filho.
Um dia, a minha mulher partilhou comigo a sensação que tinha de que devíamos ter outro filho. Eu permanecia indeciso, pois estava muito marcado por todos estes problemas. Com o nosso amigo padre, rezamos e pensamos muito. Por fim, decidimos entrar pelo caminho da confiança e entregar esta gravidez a Deus. Novo meses depois, a minha mulher deu à luz uma menina. Os testes de compatibilidade da medula espinal do bebê com a do seu irmão, eram positivos ... Vimos a maravilhosa ação do Senhor. Ele fortaleceu a nossa fé, pois permitiu-nos ver o futuro do nosso filho com confiança. No entanto o seu estado agravava-se, o transplante tornava-se urgente.
Christophe foi para o hospital ... Recebeu em boas condições, o transplante de medula que os médicos retiram da sua irmã. Depois de alguns meses de convalescência e de alguns momentos difíceis, o nosso filho recuperou as forças e as idas ao hospital foram-se espaçando.
Hoje ele está salvo: brinca, corre e vai à escola normalmente. Nós estamos sempre em ação de graças porque tudo isto foi obra de Deus, presente e agindo no meio de nós.

Thierry